Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

RS encerra participação na COP27 reafirmando seu compromisso climático

Publicação:

Assinatura do Termo de Cooperação aconteceu durante a programação da COP27.
Assinatura do Termo de Cooperação com o CDP aconteceu durante a programação da COP27. - Foto: Vanessa Trindade / Ascom Sema-Fepam

O Estado do Rio Grande do Sul finalizou, nesta terça-feira (15/11), sua participação na 27ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP27), no Egito, reafirmando seu compromisso em atingir a neutralidade de carbono no até 2050.

A última agenda da missão internacional foi a assinatura do Termo de Cooperação entre RS e CDP (Carbon Disclosure Project), uma plataforma que monitora como municípios e Estados estão trabalhando para atingir as metas estabelecidas.

A secretária do Meio Ambiente e Infraestrutura, Marjorie Kauffmann, lembrou, durante a assinatura, que "municípios, empresas, Estados e instituições individuais podem acessar a plataforma e enviar seus relatórios de emissões e suas metas. Essa ferramenta também dá acesso a importantes órgãos de financiamento, conectando atores para que a política climática seja de fato global e inclusiva".

Rebeca Lima, diretora-executiva do CDP para a América Latina, comemorou a assinatura.

"O CDP fica honrado com essa parceria. É um passo muito importante não só de cooperação entre sociedade civil e governos subnacionais, mas referente ao enfrentamento da crise climática, para ações de mitigação, de adaptação, de implementação das metas e, principalmente, de apoiar o estado a engajar com alguns atores dentro da sua jurisdição, como empresas e municípios", reforçou Rebeca.

Assinaram como testemunhas o secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Domingos Velho Lopes, e o promotor de Justiça, Daniel Martini.

O CDP é uma organização internacional sem fins lucrativos fundada em 2000, na Inglaterra, por um grupo de cientistas que identificou a falta de informações sobre o clima para a tomada de decisão dos investidores.

Antes do ato, a secretária Marjorie representou o governador Ranolfo Vieira Júnior no evento De Glasgow a Sharm El-Sheikh: avanços na Campanha Race to Zero no Brasil e novos investimentos, organizado pela Embaixada do Reino Unido no Brasil, em conjunto com o Instituto Clima e Sociedade e o CDP Latin America, apoiado pela ACA Brasil.

Objetivo do evento foi reconhecer os avanços de descarbonização dos estados que aderiram à campanha Race to Zero no Brasil.
Objetivo do evento foi reconhecer os avanços de descarbonização dos estados que aderiram à campanha Race to Zero no Brasil. - Foto: Vanessa Trindade / Ascom Sema-Fepam

O objetivo do evento foi reconhecer os avanços de descarbonização dos estados que aderiram à campanha Race to Zero no Brasil, como é o caso do Rio Grande do Sul.

Sobre a participação do Estado na COP27, Marjorie avaliou como positiva e produtiva.

"Foi um momento diferente para o Rio Grande do Sul. Nós iniciamos a nossa participação na agenda climática de forma mais efetiva no ano passado, na COP26, mas neste ano estivemos presentes em painéis sobre energia junto ao Ministério do Meio Ambiente, inclusão social e Codesul no espaço Iclei e Governo do Marrocos, Braskem Ásia e Europa, e muitos outros em diferentes locais deste pujante evento. Demonstramos como o RS está a avançar e conhecemos estratégias públicas e privadas. A COP27 é sempre, acima de tudo, aprendizado”, reforçou a secretária.

Essa foi a primeira vez que as Secretarias do Meio Ambiente e da Agricultura estiveram juntas em uma Conferência do Clima, iniciativa comemorada pelo secretário Domingos.

"Foi um momento raro em que a agricultura, pecuária e atividade de florestas plantadas puderam mostrar que elas fazem de fato parte da solução dos efeitos de emissão de gases de efeito estufa. E ficou evidenciado que a nossa participação ativa na agricultura de baixo carbono no RS e no Brasil é um exemplo para o mundo", acrescentou Domingos.

Abema na COP27

O Rio Grande do Sul esteve presente, na segunda-feira (14), no lançamento de um relatório (roadmap) desenvolvido pela Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (Abema) - que congrega secretarias, autarquias e fundações ligadas à pauta ambiental.

A plataforma digital foi construída coletivamente e nela constam os compromissos e ações dos Estados para o desenvolvimento da agenda climática. O relatório reúne informações e estabelece os caminhos necessários para se atingir as metas de redução de gases de efeito estufa.

No mesmo evento, houve o lançamento da 5ª edição da Revista Abema, um periódico em que o Rio Grande do Sul colabora. A reportagem do Estado, disponível nas páginas 88, 89 e 90, trata sobre como Licenciamento Ambiental auxiliou o Rio Grande do Sul na retomada econômica.

Os materiais estão disponíveis no site da Abema, clicando aqui. A revista contou com uma publicação especial, em inglês, devido à COP27.

Plataforma foi construída coletivamente e nela constam as ações dos Estados na agenda climática.
Plataforma foi construída coletivamente e nela constam as ações dos Estados na agenda climática. - Foto: Vanessa Trindade / Ascom Sema-Fepam

O evento aconteceu no estande do Brasil e contou com a participação do ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite; do governador de Mato Grosso, Mauro Mendes; da presidente da Abema, Mauren Lazzaretti; do presidente do BNDES, Gustavo Montezzano; da secretária de Meio Ambiente de Pernambuco e coordenadora da Câmara Técnica de Clima da Abema, Inamara Melo; além de secretários de Estado e presidentes de fundações e autarquias.

No mesmo dia, houve uma série de apresentações com temas relacionados à agricultura de baixo carbono, segurança alimentar e clima, agropecuária e meio ambiente. A secretária Marjorie e o secretário Domingos acompanharam as palestras.

Uma das atividades foi o painel que teve como palestrante o Prêmio Nobel da Paz, Rattan Lal, uma das maiores autoridades mundiais em saúde do solo e diretor da Universidade de Ohio – Estados Unidos. Ao final da palestra, Lal reforçou que “a agricultura sul-americana será responsável pela paz mundial e o plano de saúde do solo e de agricultura de baixo carbono brasileira é modelo mundial a ser seguido pelos países com agricultura responsável”.

Secretária Marjorie, secretário Domingos e o técnico da Seapdr, Caio Efrom, com Rattan Lal.
Secretária Marjorie, secretário Domingos e o técnico da Seapdr, Caio Efrom, com Rattan Lal. - Foto: Vanessa Trindade / Ascom Sema-Fepam

"Muito felizes com os nossos resultados, com as palestras, com as nossas participações, porque conseguimos consolidar o Rio Grande do Sul como um estado com agropecuária diversificada sustentável produtiva e responsável com os compromissos assinados e com a questão da resiliência quanto ao aquecimento global", comemorou Domingos.

Protocolo Codesul

Iniciativa prevê o fortalecimento da cooperação EM processos decisórios dos Estados do bloco.
Iniciativa prevê o fortalecimento da cooperação EM processos decisórios dos Estados do bloco. - Foto: Vanessa Trindade / Ascom Sema-Fepam

Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul, firmaram uma parceria na COP27 para atuar em bloco contra a crise climática. Os Estados fazem parte do Conselho de Desenvolvimento e Integração (Codesul). O Protocolo de Intenções foi assinado no sábado (12) e contou com o apoio do Iclei-Governos Locais para a Sustentabilidade.

A iniciativa prevê o fortalecimento da cooperação para incluir a variável climática nos processos decisórios dos Estados do bloco, por meio da constituição de um sistema integrado e permanente de informações climáticas e do compartilhamento das bases de dados e de conhecimento para inovação e boas práticas.

"O tema de casa que fica dessa COP é seguirmos evoluindo nas iniciativas que compõem o nosso plano de ações climáticas, em cima das nossas possibilidades dentro das cadeias energética e produtiva. Além disso, vamos fortalecer os laços com o Codesul e seguir avançando pra que na COP28 possamos estar ainda mais presentes, atuantes e que sejamos protagonistas em agricultura de baixo carbono como oportunidade de investimento, não só de modelo produtivo", finalizou Marjorie.

Texto: Vanessa Trindade

Sema - Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura