Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Governo assina protocolo de intenções com a empresa BSBios para viabilizar usina de etanol em Passo Fundo

Publicação:

"A questão da energia renovável dialoga com a direção que queremos para o Rio Grande do Sul", afirmou Ranolfo.
"A questão da energia renovável dialoga com a direção que queremos para o Rio Grande do Sul", afirmou Ranolfo. - Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

O governador Ranolfo Vieira Júnior assinou, na manhã desta segunda-feira (20/6), em evento no Palácio Piratini, um protocolo de intenções entre o governo do Estado e a empresa BSBios para viabilizar a implementação de uma usina produtora de etanol em Passo Fundo. O documento estabelece ações articuladas para viabilizar o investimento de R$ 316 milhões projetado pela empresa para a primeira fase de implantação da unidade produtora de etanol e farelos a partir do processamento de cereais como milho, trigo, triticale, arroz, e sorgo.

O protocolo prevê tratamentos tributários em relação ao ICMS para aquisições de fornecedores de máquinas e equipamentos industriais localizados no Rio Grande do Sul e importações do exterior de máquinas e equipamentos industriais.

A iniciativa está dentro do contexto da Política Estadual de Estímulo à Produção de Etanol, instituída em lei sancionada no Estado no ano passado, a partir da qual foi criado o Programa Estadual de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Etanol (Pró-Etanol) . O programa tem como objetivo fomentar a cadeia produtiva e ampliar a produção do biocombustível aproveitando especialmente as culturas de inverno como insumos. Hoje, o Rio Grande do Sul produz menos da 1% da sua demanda. A nova fábrica, de acordo com a projeção da BSBios, deve suprir 23% dessa necessidade a partir de 2027.

O governador destacou a importância do entendimento com a BSBios para avançar na busca pela autossuficiência de etanol e da descarbonização. "A questão da energia renovável dialoga, sem dúvida nenhuma, com a direção que queremos para o Rio Grande do Sul. Temos um imenso potencial para a produção de etanol, a demanda interna chega a 1 bilhão de litros por ano. O governo vem consolidando seu compromisso para a expansão da produção e iniciativas como a de hoje são essenciais para que este espaço possa ser aproveitado. Com o Pró-Etanol, construído para ultrapassar governos, buscamos a autossuficiência da produção, o que vai fomentar toda uma cadeia de produtores, armazenadores e distribuidores gerando emprego, arrecadação e desenvolvimento", disse Ranolfo.

A usina

Prevista para operar em duas fases, com processamento de 750 toneladas/dia de cereais em 2024 e de 1.500 toneladas/dia, em 2027, a usina totaliza um investimento de R$ 556 milhões no período. O projeto é flexível para a produção de etanol anidro (que pode ser adicionado na gasolina) ou hidratado (consumo direto), com capacidade de 111 milhões de litros em sua primeira fase e 220 milhões de litros quando totalmente instalada. A usina será instalada no km 316 da BR 285, em Passo Fundo.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Joel Maraschin, observou que entre as possibilidades articuladas no protocolo de intenções do governo do Estado com a BSBios está a adesão da empresa ao Fundo Operação Empresa do Estado do RS (Fundopem) e ao Programa de Harmonização do Desenvolvimento Industrial do RS (Integrar). O secretário disse ainda que a instalação da usina vai movimentar economicamente a região já que, de acordo com a BSBios, devem ser gerados cerca de 140 novos empregos diretos e aproximadamente 1 mil indiretos.

“É um investimento importante não só pelo valor previsto, mas também pela geração de emprego e renda e ainda por uma questão de arrecadação. Ao importar 99% da demanda anual de etanol, acabamos deixando em outros estados cerca de R$ 600 milhões. A iniciativa também se destaca pela questão de responsabilidade ambiental, algo que o Estado tem priorizado, buscando uma conversão da sua matriz energética para as energias renováveis”, afirmou Maraschin.

A fábrica vai oferecer também ao mercado o farelo oriundo da produção do etanol. Obtido imediatamente após o processo fermentativo de produção de etanol, é um importante coproduto do processo de fermentação de grãos, com grande potencial de utilização para produção de rações animais destinadas à cadeia de produção de alimentos. Serão produzidos 155 milhões de toneladas por ano de farelo para a cadeia de proteína animal na segunda fase do projeto.

“A iniciativa vai representar um incremento na oferta de farelo para as cadeias produtivas de proteínas animais, além de promover investimento em desenvolvimento de tecnologia genética para produção de trigo específico para produção de etanol e de ser uma oportunidade viável de renda para o agricultor com a cultura de cereais de inverno”, destacou Erasmo Carlos Battistella, presidente da BSBios.

Também estiveram presentes na cerimônia os secretários Artur Lemos (Casa Civil), Domingos Velho Lopes (Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural), Marjorie Kauffmann (Meio Ambiente e Infraestrutura), o subsecretário da Receita estadual, Ricardo Neves, o vice-prefeito de Passo Fundo, João Pedro Nunes, entre outras autoridades. 

Sema - Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura