Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Espécie de ave em extinção é localizada no Parque Estadual do Turvo

Publicação:

Havia cem anos que o uiraçu não era visto no Estado. Foto: Dante Andres Meller
Havia cem anos que o uiraçu não era visto no Estado. Foto: Dante Andres Meller

O Parque Estadual do Turvo, administrado pela Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema), recebeu um visitante raro: um exemplar da ave uiraçu. A espécie é considerada a mais rara das águias florestais da região neotropical, de acordo com o biólogo Dante Andres Meller, que avistou o pássaro durante uma incursão ao parque, em setembro.

 “Observar um uiraçu na natureza é um sentimento surreal. Se não fossem as imagens para reafirmar, parece que a observação manteria um ar contínuo de será mesmo que aconteceu?”, afirma Dante.

Espécie é considerada a mais rara das águias florestais da região neotropical. Foto: Dante Andres Meller
Espécie é considerada a mais rara das águias florestais da região neotropical. Foto: Dante Andres Meller

De acordo com o pesquisador, os registros dessa espécie são raríssimos. Havia cem anos que essa ave não era vista no Estado. “Como nunca houve nenhum indício de que a espécie realmente ocorresse nas matas do parque gaúcho, o uiraçu permaneceu por longo período considerado extinto no Rio Grande do Sul”, acrescenta o pesquisador. O achado fará parte da pesquisa de doutorado de Dante, que não pode divulgar mais detalhes do trabalho que desenvolve sobre a ocorrência das águias florestais.

Não é a primeira vez que se tem registro de uma ave em extinção no Parque. O fato já havia acontecido com a harpia, em junho de 2018. Para Dante, é como se um raio caísse duas vezes no mesmo lugar, mas de maneira ainda mais impactante, porque o uiraçu é mais raro que a harpia.

Fato já havia acontecido com a harpia, em junho de 2018. Foto: Carlos Kuhn
Fato já havia acontecido com a harpia, em junho de 2018. Foto: Carlos Kuhn
“Os grandes rapinantes são bioindicadores, demonstrando que temos equilíbrio ecológico no interior desta área protegida", afirma Rafael Diel Schenkel, gestor do Parque.

Parque Estadual do Turvo

O Parque Estadual do Turvo, em Derrubadas, no Noroeste gaúcho, tem um dos maiores fragmentos no Estado de floresta estacional decidual – um ecossistema da Mata Atlântica. Sua área abriga muitas espécies ameaçadas de extinção, como onça-pintada, puma, cateto, anta e pica-pau, além de árvores com até 30 metros de altura, diversas espécies de peixes, répteis, anfíbios, borboletas, insetos e fungos.

Mapa: Parque Estadual do Turvo fica em Derrubadas, no Noroeste gaúcho.úcho.
Mapa: Parque Estadual do Turvo fica em Derrubadas, no Noroeste gaúcho.
O Salto do Yucumã é o principal atrativo, com 1.800 metros de extensão e quedas d'água com até 12 metros de altura. O salto foi formado devido a uma falha geológica que varia de 90 a 120 metros de profundidade. De acordo com a administração do Parque, é uma das maiores quedas longitudinais do mundo.

Salto do Yucumã tem 1.800 metros de extensão e quedas d'água com até 12 metros de altura. Foto: Carlos Kuhn
Salto do Yucumã tem 1.800 metros de extensão e quedas d'água com até 12 metros de altura. Foto: Carlos Kuhn

Serviço do Parque

Visitação: de quinta a segunda-feira

Horário: das 8h às 18h

Horário de entrada para visitar o Salto: das 8h às 16h

Ingressos: R$ 17,09

Proibida a entrada com animais de estimação e bebidas alcoólicas

Contatos: (55) 3616.3006 ou parque-turvo@sema.rs.gov.br.

texto: Vanessa Trindade         edição: Marcelo Flach/Secom

 

Sema - Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura